Oxylife - tratamentos hiperbáricos
2a - 6a 07:00 - 18:00
Sábados 08:00 - 12:00
(21) 2424-6699 / 2424-6734
WhatsApp: (21) 99011-5442
oxigenoterapia@oxylife.com.br

Endereço:   Estrada dos Três Rios, 1653 - Freguesia - Jacarepaguá    --->  Localização

Tratamentos

De acordo com a resolução Nº. 1457/95 DO CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA muitas patologias infecciosas e/ou isquêmicas podem ter a sua evolução bastante favorecida pelo uso da oxigenoterapia hiperbárica (HBO).

Exemplos de doenças que, habitualmente, são de tratamento DIFÍCIL, trabalhoso e demorado e nas quais a oxigenoterapia hiperbárica age, modificando favoravelmente a evolução:

Infecções necrotizantes de tecidos moles - celulites, faciítes e miosites - são infecções que em geral acometem a pele, a gordura existente sob a mesma e, às vezes, os músculos vizinhos. Este grupo de doenças pode ter uma evolução lenta ou, pelo contrário evoluírem de maneira aguda, podendo levar à morte do paciente ou à necessidade de submeter o paciente a cirurgias mutiladoras (amputações) para salvar sua vida.

Lesões refratárias -úlceras de pele, pé diabético, escaras de decúbito, úlcera por vasculites autoimunes, deiscências de suturas; - são aquelas feridas ou incisões cirúrgicas que, uma vez abertas, não fecham como seria esperado.
Habitualmente ocorrem devido ao comprometimento da circulação sangüínea, afetando a oxigenação local, e/ou devido à presença de uma infecção bacteriana.
São exemplos típicos deste tipo de ferida aquelas observadas nas nádegas e nos calcanhares das pessoas acamadas por longo período e as que ocorrem nos pacientes portadores de diabetes (doença caracterizada pela existência de taxas elevadas de açúcar no sangue) com uma incidência bastante elevada, levando freqüentemente à amputação do pé ou do membro acometido.

Cisto Pilonidal – aceleração da cicatrização no pós operatório.

Osteomielites - são as infecções crônicas nos ossos não solucionadas com o tratamento convencional (antibioticoterapia associada a cirurgias para raspagem do osso afetado), mesmo tentado diversas vezes.

Lesões por esmagamento -
são aquelas situações observadas nos esmagamentos traumáticos de braços e pernas, em que existe habitualmente lesões de vasos sangüíneos de maior calibre e um "inchaço" de grandes proporções do membro acometido, prejudicando seriamente a circulação sangüínea do MESMO.

Envenenamento por cianeto ou derivados cianídricos.


Gangrena gasosa.


Síndrome de Fournier.


Isquemias agudas traumáticas -
lesão por esmagamento, síndrome compartimental, reimplantação de extremidades amputadas e outras.

Vasculites agudas de etiologia alérgica
, medicamentosa ou por toxinas biológicas (aracnídeos, serpentes e insetos)

Queimaduras térmicas e elétricas.


Lesões por radiação radiodermite, osteorradionecrose e lesões actínicas de mucosas -
são feridas de pele ou encontradas em vísceras ocas, tais como a bexiga (cistite) e o intestino grosso (proctite ou retite) e que podem ser observadas nos pacientes portadores de câncer submetidos à radioterapia, manifestando-se através de urgência para urinar, sangramentos (ao urinar ou defecar), cólicas e diarréia ou prisão de ventre.
A lesão actínica que afeta o tecido ósseo é denominada osteorradionecrose.

Procedimentos de Cirurgia Plástica reparadora -
Retalhos ou enxertos comprometidos ou de risco, infectados e/ou necrosados - os enxertos e retalhos são procedimentos em que se pretende recobrir uma determinada ferida, normalmente extensa e profunda, com pele ou músculo retirados de outra parte do próprio paciente. O comprometimento da circulação sangüínea e, por fim, da oxigenação da pele ou do músculo transplantado pode levar ao fracasso do procedimento cirúrgico, evitado pela oxigenoterapia hiperbárica.


Anemia aguda -
nos casos de impossibilidade de transfusão sangüínea.

Embolias gasosas e Embolias traumáticas pelo ar.-
presença anormal de bolhas de ar na corrente sanguínea, levando à obstrução da circulação do sangue e, consequentemente, impedindo ou prejudicando a oxigenação de tecidos nobres do organismo, tais como o cérebro e o coração, com sérios desdobramentos.
Pode ser observada acidentalmente na prática do mergulho e em alguns procedimentos médicos, tais como cirurgias cardíacas.

Doença descompressiva.
doença que pode acometer o mergulhador que não observa as tabelas de descompressão recomendadas para o tempo distendido nesta atividade e a profundidade alcançada no mergulho por ele efetuado, e que se manifesta com dor nas juntas e sintomas neurológicos, tais como paralisias de partes do corpo.

Abscesso cerebral -
coleção de pús localizada no cérebro, de origem infecciosa e de difícil tratamento.

Pneumoencéfalo -
denomina-se desta maneira a presença de uma "bolha" de ar no cérebro, resultante habitualmente de um trauma.



Doença de Crohn -
doença de natureza inflamatória que acomete os intestinos e que pode ser acompanhada por drenagem espontânea de secreção purulenta para a pele da região próxima ao ânus ou do abdomen.

Abscessos intra-abdominais


Sepse, choque séptico ou insuficiências orgânicas por vasculites agudas.